EQUIPE

equipe

Rafael Limaverde

Nascido em Belém/PA em 1976, naturalizado cearense, formado em Artes Visuais pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE). Xilogravurista, grafiteiro, designer e ilustrador. Teve sua  primeira exposição de pinturas e infogravuras intitulada “Caos” – Fortaleza/CE (2000). A segunda sob o título “Xilofagia”, com 14 xilogravuras homenageando personalidades e manifestações importantes da cultura nordestina – Fortaleza (2002). Ex-integrante do grupo Acidum, expôs na Funarte (São Paulo/SP e Rio de Janeiro/RJ), Salão de Abril (Fortaleza/CE) e Mostra Sesc Cariri (Crato/CE). Realizou a exposição individual “Gabinete Místico” com 13 aquarelas na Galeria Estoril – Fortaleza (2015). Foi curador da exposição Eco Barroco no CCBNB (Centro Cultural Banco do Nordeste) – Fortaleza (2011) e da exposição Bestiário Nordestino, na Multigaleria – Centro de Arte e Cultura Dragão do Mar – Fortaleza (2016). Como grafiteiro, realizou trabalhos em quatro edições do Festival Concreto – Fortaleza (2013, 2015, 2016, 2017) e Festival Bahia de Todas as Cores – Candeias/BA (2017). Pesquisa, atualmente, desenhos, pinturas, gravuras e assemblages , tendo como referência a cosmovisão religiosa, tanto litúrgica (sacralizada pela igreja) como a paralitúrgica (sacralizada pela religiosidade popular). Baseia seu trabalho na simbologia, no imaginário, na história, nos objetos, templos e rituais que compõem a experiência transcendental humana.

https://issuu.com/rafaellimaverde

 

Marquinhos Abu

Marquinhos Abu é grafiteiro, arte educador e produtor. É também membro do Coletivo Aparecidos Políticos, foi premiado no 65° Salão de Abril com a performance “Operação Carcará” e é co-autor do livro “Mini manual da Arte Guerrilha Urbana”. Abu também é um dos curadores do “Ateliê Aparecidos Políticos”, localizado no Sobrado José Lourenço, em Fortaleza/CE. No município do Crato/CE, Abu desenvolveu o projeto “Retratos de Memória do Gesso”, com o registro e pintura em stêncil de moradores históricos da comunidade. Participou, ainda, da produção do projeto “Oco do Mundo”, gravado no sertão nordestino, e do documentário “Desbravadores – Google Street View Trekker“. Compõe a equipe de produção do Concreto – Festival Internacional de Arte Urbana, além de seguir participando de festivais de graffiti pelo Brasil. Recentemente, integrou a Caravana Concreto no México, no Festival Ciudad Mural. Marquinhos Abu é um dos curadores da exposição “Bestiário Nordestino – Um olhar sobre a gravura fantástica”, que esteve em cartaz em 2017 no Centro Dragão do Mar de Arte e a Cultura e que, agora, segue em circulação pelo Brasil.